Irmão da Candidata Dilma Rousseff, advogado Igor Rousseff aceitou cargo em Minas Gerais

By | 17 de outubro de 2014

Vídeo: Dilma no JN não condena corruptos do PT que roubaram o Brasil e estão na cadeia; Pr. Silas comenta

O advogado Igor Rousseff, irmão da presidente Dilma, foi levado para trabalhar na prefeitura de Belo Horizonte em 20 de setembro de 2003, quatro meses após Fernando Pimentel assumir o comando da capital mineira. Amigo de Dilma há décadas, Pimentel assumiu como titular na vaga deixada com a aposentadoria do prefeito Célio de Castro, por motivos de saúde.

Em março de 2005, Igor Rousseff foi transferido para o cargo em comissão na Secretaria de Planejamento e só foi exonerado no final da gestão de Pimentel, em dezembro de 2008, juntamente com outras 160 pessoas.

— Ele foi exonerado dentro de uma medida genérica de fim de governo. A maioria dessas pessoas foi recontratada. Igor nunca pediu para voltar — disse o prefeito Márcio Lacerda, que sucedeu Pimentel.

Aécio disse no debate que Igor recebia da prefeitura sem aparecer para trabalhar. Pimentel afirmou ontem, por meio da assessoria de imprensa da campanha de Dilma, que Igor trabalhava “com regularidade e eficiência”.

Em longa conversa com o GLOBO às vésperas da posse de Dilma, em 2010, Igor Rousseff se mostrou avesso às regalias do poder. Meio ácido, meio engraçado, meio desligado das delícias que o poder pode oferecer, o filho mais velho de dona Dilma Jane e do búlgaro Pedro Rousseff tomou rumo diferente e caiu no mundo quando a irmã dava os primeiros passos na clandestinidade e na luta contra a ditadura no Brasil.

Aos 18 anos, Igor foi “olhar” as coisas no Canadá. Aos 19 anos, estava com líderes do movimento beatnik e hippie nos EUA. De volta ao Brasil, o hoje advogado Igor Rousseff continuou longe da família. Quando Dilma foi eleita, ele declarou que não iria pleitear cargo.

— Não vou ficar “rabeando” e criando constrangimentos para Dilma em Brasília — disse.

Cumpriu a promessa. Esteve na posse de Dilma, mas só quem o conhecia sabia que ele era irmão da presidente. Não se deixa ser fotografado pela imprensa e não se tem notícia de foto recente dele. Ele costuma visitar a mãe e a irmã em Brasília em eventos muito íntimos da família.