Líderes do MST são presos em operação Policia Cívil

By | 7 de novembro de 2016

Oito lideres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foram presos até o início da tarde desta sexta-feira (4) em uma operação da Polícia Civil no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. O MST afirmou em nota que “é vítima da criminalização por parte do aparato repressor do Estado Paranaense”.

A operação batizada de “Castra”, com foco central no Paraná, tem 14 mandados de prisão, dez de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento. Seis pessoas ainda são procuradas pela polícia.

Entre os integrantes do MST alvos da operação está o vereador Claudelei Torrente de Lima (PT), eleito com maior número de votos neste ano no município de Quedas do Iguaçu (Sudoeste do Paraná).

Ele está entre os presos. Também há um dirigente nacional do MST entre os investigados.

No Paraná, a ação da polícia abrange Francisco Beltrão e Laranjeiras do Sul; além de cidades de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Em São Paulo, o alvo da operação foi a escola nacional Florestan Fernandes, destinada à formação de militantes sem-terra. A escola pertence ao MST.

Dez carros da polícia chegaram à porta da instituição, em Guararema (Grande São Paulo), por volta das 9h30.