Renata Campos, 47, viúva do ex-governador Eduardo Campos, oficializou o apoio da família à candidatura de Aécio Neves (PSDB)

By | 12 de outubro de 2014

Renata Campos, 47, viúva do ex-governador Eduardo Campos, oficializou o apoio da família à candidatura de Aécio Neves (PSDB), por meio de uma carta lida pelo filho mais velho do casal, João, 20, no início da tarde deste sábado (11).

“Somos nordestinos, pernambucanos, e queremos juntos construir a nação brasileira. Siga em frente, Aécio, e que Deus nos proteja”, diz a carta de Renata, que perdeu o marido em um acidente aéreo no dia 13 de agosto.

“Você vai levar a garra e energia do nosso povo, que serão fundamentais e essenciais para a construção de um novo Brasil”, afirmou a viúva na carta lida pelo filho. No texto, Renata disse estar sofrendo pela morte do marido e que o acidente interrompeu seus planos políticos.

“Para nós, este ano foi um ano muito duro. Perdemos nosso Eduardo, o nosso Dudu, nosso pai, nosso líder”, afirmou. “Ele tinha um grande sonho: tornar o Brasil um país mais justo, mais humano, mais equilibrado, onde as pessoas estivessem em primeiro lugar”.

“Ele sabia que para chegar neste novo Brasil era preciso um novo caminho. Infelizmente, quis o destino que o caminho que sonhávamos não se tornasse possível”.

A viúva também lembrou da amizade entre Campos e Aécio, que no início do ano fizeram um pacto informal de não-agressão e costuravam nos bastidores um apoio mútuo no segundo turno. “Aécio, acredito na sua capacidade de diálogo e gestão. Sei que não é a primeira vez que seu caminho cruza com Eduardo”, disse Renata na carta.

“Em vários momentos, quando era necessário, você e Eduardo sabiam sentar e dialogar, encontrar caminhos”. Sempre contida, a viúva de Campos criticou o governo da presidente Dilma Rousseff na carta lida pelo filho. “O Brasil pede mudanças. O governo que aí está tornou-se incapaz de realizá-las”.

Ao contrário dos filhos João, Eduarda (22) e Pedro (18), a ex-primeira-dama de Pernambuco não participou do ato no Clube Internacional do Recife, onde há algumas semanas esteve com Marina Silva, que assumiu a liderança da chapa do PSB com a morte de Campos.

Aécio disse estar emocionado com o ato organizado em Pernambuco e com a mensagem de Renata Campos.

“Já vivi muita coisa na minha vida, não comecei ontem a minha trajetória. Tive muitas alegrias e também momentos de enorme dor e frustração, mas não senti tamanha emoção que vivo aqui hoje”, disse o tucano.

Aécio lembrou de conversas com Eduardo e, disse que partidos diferentes e gerações diferentes agora ” se unem em torno de algo maior”. “Não sou mais o candidato do PSDB, sou o candidato que vai fazer as mudanças que o Brasil precisa”.

Aécio ainda rebateu críticas feitas nos últimos dias pela campanha da presidente Dilma Rousseff (PT). ” Não vou aceitar que queiram dividir o Brasil em dois, entre pobres e ricos, entre norte e sul, entre Nordeste e Sudeste. Serei o presidente da integração”, afirmou.

Aécio cumpre, ainda neste sábado, agenda em Sirinhaém, zona da mata pernambucana.

LEIA ABAIXO A ÍNTEGRA DA CARTA DE RENATA CAMPOS

Bom dia a todas e a todos

Nossas primeiras palavras são de gratidão ao povo pernambucano, pela confiança, pela bela vitória no dia 5 de outubro. Expressamos nossos sentimentos nas urnas e reconhecemos um caminho. Não desistimos do Brasil. Nosso muito obrigado ao povo Pernambucano!

Para nós, esse foi um ano muito duro. Perdemos nosso Eduardo, nosso Dudu, nosso pai, nosso líder, nosso guia. Ele tinha um grande sonho: tornar o Brasil um pais mais justo, mais humano, mais equilibrado, onde as pessoas estivessem em primeiro lugar. Dedicou sua vida à construção desse sonho. Ele sabia que, para chegar nesse novo Brasil, era preciso um novo caminho.

Infelizmente, quis o destino que o caminho que sonhávamos não se tornasse possível.

Hoje, temos duas possibilidades: continuar como estamos ou trilhar um caminho de mudança. O Brasil pede mudanças. O governo que ai está tornou-se incapaz de realizá-las. Continuamos acreditando nos mesmos valores, continuamos com os mesmos sonhos. Só será possível mudar o Brasil se tivermos capacidade de unir e dialogar, respeitando as diferenças. É preciso reconhecer os avanços que tivemos, as contribuições de todos, mas é fundamental organizar a casa, arejar.

Aécio, acredito na sua capacidade de dialogo e gestão. Sei que não é a primeira vez que seu caminho cruza com o de Eduardo. Lembro que, lá trás, em momentos importantes da história, o caminho do seu avô Tancredo cruzou com o de Dr. Arraes. Sei que também eram diferentes, mas souberam se unir pelo bem do Brasil. Em vários momentos, quando era necessário, você e Eduardo sabiam sentar e dialogar, encontrar caminhos.

Eduardo tinha bandeiras muito claras, e se quisermos mudar o Brasil é preciso levar adiante seus ideais: as reformas pelas quais ele tanto lutou, o pacto federativo, saúde mais 10, o Pacto pela Vida, uma educação de qualidade com escolas em tempo integral, passe livre, um desenvolvimento com sustentabilidade, entre outras.

Penso, Aécio, que hoje é um dia muito importante na sua caminhada, aqui no Nordeste, em Pernambuco, estado que sempre foi palco de lutas libertárias, que tem um povo generoso, com força e coragem. Estado que tem a cara de Eduardo e Arraes. Daqui você vai levar a garra e a energia desse povo, que serão fundamentais e essenciais para construção de um novo Brasil. Um Brasil que se respeite, reconheça suas diferenças, que saiba combater as desigualdades, criando oportunidades para todos. Só assim seremos capazes de construir uma nação justa, soberana, livre, fraterna e equilibrada, como Eduardo tanto sonhou.

Somos nordestinos, pernambucanos, e queremos juntos, construir a nação brasileira!

Siga em frente, Aécio! Boa sorte! Que Deus nos proteja! Obrigada.”

familia de eduardo campos está com aécio neves nas eleições 2014